7 Melhores faculdades públicas do Brasil

É importante levar em consideração, na hora de pensar na universidade, a avaliação da qualidade educacional,  da infraestrutura, dos docentes e discentes, entre outros fatores. Anualmente, todos esses requisitos são julgados para que as instituições públicas que exercessem seu papel com excelência sejam reconhecidas e para que as outras tenham uma meta de qualidade a alcançar. Você sabe quais são elas? Conheça  a seguir as 7 melhores faculdades públicas do Brasil.

1. Universidade de São Paulo (USP)

Sendo uma das quatro universidades públicas de São Paulo, a USP destaca-se por ser uma das maiores e mais importantes universidades do país com suas 42 unidades de ensino e pesquisa. A oferta de vagas da Universidade de São Paulo é grande para compensar a demanda.

2. Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Reconhecida não somente por seu desempenho educacional e no campo da pesquisa, a Unesp se destaca também por sua prestação de serviço à comunidade. A instituição oferece mais de 150 cursos de graduação.

3. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Situada no estado de São Paulo, a Unicamp tem atuação prestigiada nos cursos de pós-graduação. Além disso, a fundação representa uma boa porcentagem da produção de pesquisa no país.

4. Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA)

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica é uma instituição pública de responsabilidade das Forças Aéreas Brasileiras. Os cursos de graduação e pós-graduação do ITA estão relacionados a área de engenharia.

5. Universidade de Brasília (UnB)

Tendo sua sede em Brasília, a UnB tem um dos maiores orçamentos do país. A universidade é uma das maiores e tem excelência na área de ensino e de pesquisa.

6. Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Fundada em 1968, a UFSCar dispões de 48 departamentos acadêmicos. O número de artigos publicados por estudantes da universidade é cada vez maior.

7. Undaniversidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Sendo um dos maiores núcleos de inovação brasileiro, a UFMG é uma das universidades mais importantes do país e também a que mais oferece cursos e programas de ensino.

Como ingressar em uma das universidades públicas acima?

Quer realizar o sonho de iniciar um curso em uma instituição pública de prestígio? O primeiro passo é fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e depois, você deve se inscrever no SISU 2019. O Sistema de Seleção Unificada, gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), é a plataforma pela qual as vagas das instituições públicas são distribuídas.

Se inscrever no SISU é simples.  Quando o sistema abrir o período de inscrição, você deve acessar o site oficial e fornecer seus dados para cadastro. Você terá direito a escolher duas opções de curso para concorrer a uma vaga. O sistema dará preferência a sua primeira opção. Durante os dias em que o SISU estará funcionando são lançados pontos de corte para cada curso.

É importante que você acesse diariamente o sistema para ficar informado sobre sua posição na concorrência. O SISU também abre inscrição no meio do ano e você pode tentar ingressar na instituição de sua escolha novamente. Não perca a chance de estudar em uma universidade de qualidade!

Saiba como é possível estudar em Portugal

Um pequeno país da Europa tem se tornado o destino predileto de muitos estudantes brasileiros. Portugal tem instituições excelentes que apresentam facilidades quem deseja estudar lá.

Se você deseja fazer intercâmbio durante a faculdade, cursar uma graduação, fazer mestrado, doutorado ou até pós-doutorado, deve levar em consideração estudar em Portugal.

O custo de vida em terras lusitanas é reduzido, e você ainda garante a experiência de estudar em universidades europeias com um idioma similar ao nosso e com um clima ameno.

Existem inúmeras ofertas de cursos em diversas áreas em instituições de ensino lusitana. Além disso os acordos firmados com o governo brasileiro junto com as mudanças que vêm acontecendo na legislação de Portugal facilitam o intercâmbio de estudantes. 

Os valores para estudar em universidades portuguesas dependem do curso e da modalidade. A maioria das universidades públicas lusitanas possuem descontos para alunos brasileiros. Os preços variam entre € 1.037,50 a € 7.000,00 por ano, por isso é importante que você pesquise qual instituição é a ideal.

Separamos alguns pontos do que é preciso para estudar em terras portuguesas. Confira:

Algumas instituições de ensino brasileira possuem acordos com as universidades portuguesas para o intercâmbio durante a graduação, por exemplo. Nesse caso, você deve entrar em contato com o setor de Relações Internacionais da sua universidade e saber quais os requisitos.

Você também pode utilizar sua nota do Enem.  Algumas instituições portuguesas aceitam o resultado do Exame como único requisito para que brasileiros consigam estudar lá e isso se deve às parcerias firmadas com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Lembre-se que para ter uma boa nota no ENEM, é fundamental ir bem nos temas de redações ENEM!

A Universidade de Coimbra, por exemplo, disponibiliza mais de 600 vagas para brasileiros.

Além disso também existem várias opções de bolsas de estudos, como, por exemplo, as da Fundação CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) que é vinculada ao Ministério da Educação no Brasil e as da FCT (Fundação para a Ciência e a Tecnologia) de Portugal.

O ano letivo lusitano tem início no mês de setembro, e por isso o ideal é que você se prepare pelo menos com seis meses de antecedência, já que para estudar em Portugal é preciso ter o visto de estudante.

Então depois de ter sido aceito por alguma instituição de estudos portuguesa, você precisa solicitar o visto, ainda no Brasil. É possível solicitar o visto em qualquer um dos Consulados portugueses existentes no Brasil, onde você deve estar com a declaração de admissão na Instituição de ensino. O período de validade do documento geralmente é igual ao tempo do curso que você foi admitido.

O estudante também deve solicitar a documentação de residência temporária no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em Portugal.

Conheça as faculdades mais empreendedoras do Brasil?

Nos dias atuais, muitos estudantes de graduação já sonham em ter suas próprias empresas, principalmente com as dificuldades que o mercado de trabalho vem sofrendo nos últimos anos.

O empreendedorismo é um ótimo caminho para quem deseja inovar e, por isso, é de suma importância que as instituições de ensino superior disponibilizem uma estrutura voltada ao empreendedorismo, preparando os estudantes para encarar os desafios que o mercado impõe.

Várias faculdades do mundo inteiro já possuem a educação empreendedora na grade curricular, pois sabem do poder que os jovens têm sobre inovação, o que favorece o desenvolvimento econômico do país.

Com projetos de empreendedorismo, as instituições garantem o poder de transformação do setor que seus alunos atuam, podendo gerar milhares de empregos nas mais diferentes áreas.

Mas quais faculdades são consideradas as mais empreendedoras do Brasil?

A Confederação Brasileira de Empresas Juniores divulgou, no final de 2017, a segunda edição do Índice das Universidades Empreendedoras, que avalia e premia as instituições de ensino que disponibilizam as melhores condições para o desenvolvimento empreendedor.

A Universidade de São Paulo (USP), principal universidade pública de São Paulo, ficou em primeiro lugar no ranking, com nota de 7,26.

Criada em 1934, a USP possui uma das maiores concorrências do país no seu processo seletivo e para ingressar nela é necessário prestar o vestibular tradicional produzido pela Fuvest ou pelo Sisu, programa do Ministério da Educação. Faça sua inscrição no Sisu e concorra a uma vaga na instituição que mais fomenta o desenvolvimento do empreendedorismo

Em segundo lugar ficou a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com nota final de 6,9. A UFMG possui sede na capital de Belo Horizonte, mas também possui campus nas cidades de Montes Claros e Tiradentes. 

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), considerada uma das melhores instituições de ensino público da América Latina, ficou com o terceiro lugar na lista com nota de 6,84. Sua sede está situada na cidade de Campinas, interior de São Paulo.

Em quarto lugar ficou a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Criada também em 1934, a UFRGS recebeu nota de 6,45 na pesquisa, e tem sua sede na cidade de Porto Alegre. 

Já a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO), primeira universidade privada do ranking, ficou em quinto lugar, com nota de 6,18.

Para a realização dessa pesquisa, a Confederação Brasileira de Empresas Juniores ouviu, ao longo do ano, mais de 10 mil estudantes, onde coletou informações e dados de mais de 50 faculdades. 

Além disso, abordou outros pontos que também contribuem para a criação de uma cultura empreendedora, como por exemplo, a visão dos estudantes em relação a metodologia de ensino utilizada pela instituição.

Como anda o primeiro campeão do BBB?

Você sabia que o reality show Big Brother é inspirado no livro ‘1984’, de George Orwell? O programa teve sua primeira edição no Brasil em 2002, sob o comando do apresentador Pedro Bial.

Kléber Bambam, hoje com 40 anos, foi o primeiro vencedor do Big Brother Brasil (BBB), e na época faturou o prêmio de R$ 500 mil. O participante do reality ficou conhecido não somente por ser o primeiro campeão, mas também por ter criado a boneca Maria Eugênia durante o confinamento.

Maria Eugênia foi, sem dúvida, um dos destaques da primeira edição do programa, porém ela só foi notada pelo público quando a produção a retirou da casa. Em seguida, Bambam implorou aos prantos à produção do reality que a boneca retornasse para a casa, e essa cena foi uma das mais lembradas do programa.

Na edição do BBB em 2013 ele foi mais uma vez convidado a participar do reality, mas pediu para sair pouco tempo depois por não suportar o confinamento.

O carisma levou Bambam a participar de outros programas da Rede Globo como o Zorra Total e a Turma do Didi, programa que pertencia a Renato Aragão.

Mas como está Kleber Bambam hoje? Apesar de o participante ter ganhado 500 mil reais, ele garante ter acumulando hoje uma fortuna estimada em mais de R$ 6 milhões. O paulista trabalha atualmente como DJ, viajando por todo o Brasil.

Em algumas entrevistas ele afirma que dinheiro não pode ficar parado erevela em que investe o seu dinheiro. Segundo o ex BBB, o dinheiro do prêmio que ganhou no reality show foi investido em imóveis e hoje ele tem meio milhão só em carros.

Para manter a ótima forma, Bambam treina duas vezes por dia, seis vezes por semana. Além de se dedicar ao fisiculturismo, também é dono da loja Mutante, de roupas e produtos esportivos, e ainda possui um canal no YouTube chamado “Canal do BamBam”.

No ano passado, o jornalista Pedro Bial foi substituído pelo apresentador Tiago Leifert, a quem se considera fã. Desde então, o programa ganhou uma cara mais jovem e descolada.

Leifert também comenta sobre a experiência de apresentar um programa de confinamento e afirma que foi testado de todas as formas. “Não tem nada parecido como apresentar o BBB. É diferente de tudo”.

O programa Big Brother Brasil realizou esse ano a sua 18° edição, e teve audiência garantida. As inscrições do BBB 2019 estão abertas e as seletivas vão passar por 12 cidades. Que tal tentar uma vaga?

O que é e como funciona uma empresa júnior?

As empresas juniores existem no Brasil desde a década de 80, mas essa ideia só tomou conta do país tempos depois. Hoje, são mais de 2 mil instituições que possuem cadastro e que estão com diversos  projetos em ação.

A maioria dos clientes são micro e pequenos empresários, por isso esse modelo empreendedor é de grande importância para a economia e o mercado de trabalho.

Mas o que é uma empresa Júnior?

Empresa Júnior (EJ) é uma associação sem fins lucrativos formada e administrada por estudantes de um curso superior que têm o objetivo de apresentar e praticar o que foi aprendido em sala de aula.

As EJ são supervisionadas por um professor acadêmico. Esse tipo de empresa aproxima o mercado de trabalho dos estudantes e de suas instituições.

Estudantes de diversos cursos de uma mesma Universidade podem fazer parte da mesma empresa e isso é um diferencial, pois abrange vários setores igualmente a uma verdadeira empresa.

No entanto, vale ressaltar que mesmo sem fins lucrativos, não necessariamente todo mundo precisa trabalhar gratuitamente. A empresa pode contratar funcionários, alugar algum espaço para trabalhar e comprar equipamentos com o lucro que a organização tiver. Basta organizar.

Uma empresa júnior (EJ) possui quase todas as responsabilidades de outras organizações, a única diferença são impostos que são pagos.

O processo para abrir uma EJ é basicamente o mesmo de uma empresa normal. A diferença é que como a EJ não tem fins lucrativos, não precisam pagar a maioria dos impostos.

Dessa forma os serviços e produtos de uma Empresa Júnior normalmente são mais em conta do que das empresas tradicionais, mesmo oferecendo produtos de alta qualidade.

As vantagens de um estudante trabalhar em uma empresa Júnior são grandes: a experiência que lhe é adquirida garante vantagens na concorrência do mercado de trabalho, lidar com novos e diferentes desafios profissionais, conviver com diferentes pessoas e ideias, o que é um espelho do mercado, dentre tantas outras vantagens.

Sem sombra de dúvidas você não teria as mesmas experiências num estágio comum.

Para ingressar em uma EJ, em geral, você deve participar de um processo seletivo como em uma concorrência para um emprego comum: com provas, dinâmicas de grupo e entrevistas.

De fato as Empresas Júnior se destacam como uma excelente alternativa para as empresas, para as instituições, já que elas ganham mais visibilidade quando incentivam esse tipo de modelo empreendedor, e principalmente os estudantes, que se destacam no início de sua carreira no mercado de trabalho, com uma bagagem profissional.

4 Formas de conseguir uma bolsa estudantil em um curso superior

Nos últimos anos, o Governo Federal realizou alguns cortes no orçamento dos programas de financiamento estudantil para reequilibrar as contas públicas. E essas medidas afetam diretamente quem deseja ingressar no ensino superior.

Arcar com os custos de uma faculdade privada nem sempre é possível, principalmente considerando a crise econômica que se instalou no país. As mensalidades podem pesar no orçamento da família, mas não é por isso que você deve desistir de fazer um curso superior.

No entanto, é fundamental saber que existem outras formas para contornar esse problema. Veja a seguir 4 Formas de conseguir um bolsa estudantil em um curso superior.

Programas do Governo

O Programa Universidade para Todos (ProUni) disponibiliza bolsas parciais de 50% e integrais em faculdades particulares de todo o País para estudantes que comprovam ter baixa renda. Uma dica importante é verificar quais cursos e instituições você poderia entrar com base na nota de corte do PROUNI dos anos anteriores.

Nesse caso, é exigido que o estudante tenha feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no ano anterior, tenha tirado uma nota maior que 450 nas provas e não tenha zerado a redação. As inscrições são gratuitas e acontecem no primeiro e no segundo semestre.

Além do ProUni, alguns Estados também disponibilizam programas de bolsas de estudos. No Rio Grande do Sul, por exemplo, existe o Procred, já em São Paulo, existe o Bolsa Universidade. Vale a pena procurar saber se a Secretaria de Educação do seu estado possui algum projeto parecido.

Bolsas para atividades esportivas

Essas bolsas de estudos são concedidas pelas próprias instituições de ensino superior. No país existem diversas faculdades privadas que garantem essa alternativa para estudantes, contanto que você seja um atleta pela faculdade, participe dos campeonatos universitários, e tenha um bom desempenho acadêmico.

As bolsas que são concedidas podem chegar até 100% de desconto na mensalidade, mas depende da instituição e do seu desempenho nos esportes. É importante lembrar que não necessariamente você precisa ter alguma experiência como atleta. Vale a pena conhecer essa alternativa.

Bolsa de Iniciação Científica

A Iniciação Científica é um projeto onde o estudante desenvolve uma pesquisa como pontapé inicial para as áreas de pesquisa acadêmica. Algumas Instituições no País oferecem bolsas de estudos devido a dedicação que demanda esse tipo de pesquisa.

O estudante primeiramente deve escolher qual o objeto de estudo, para, em seguida, desenvolver um projeto de pesquisa com orientações de um professor.

Esse tipo de pesquisa é benéfica não somente para quem deseja se inserir no mercado de trabalho ou ter mais facilidade de ingressar em um mestrado ou doutorado, mas também para que deseja pleitear excelentes bolsas que auxiliam na carreira acadêmica.

Programa de iniciativa privada

Hoje é possível encontrar diversos programas de iniciativa privada que garantem bolsas e descontos para estudantes em diversas instituições no País. O Educa Mais Brasil, por exemplo, oferece descontos de até 70% para cursos de graduação.

Você só deve pesquisar qual melhor programa, se ele se encaixa no seu orçamento e se contempla o curso e a instituição que você deseja ingressar. Para garantir essa alternativa é simples: basta acessar o site do programa escolhido, preencher os dados solicitados, escolher qual a instituição e o curso que você pretende fazer. Depois é só aguardar o contato do programa.

Saiba os Principais Benefícios e Vantagens de Ser um MEI

Uma das formas mais simples, prática e rápida para empreender por conta própria no Brasil é através da formalização como Microempreendedor Individual (MEI). Mas o que é o MEI? É a classificação dada ao profissional que trabalha de forma autônoma e tem sua função legalizada como pequeno empresário.

Esta função foi criada com o objetivo de estimular o empreendedorismo no país e é, sem dúvida, o melhor caminho para as micro e pequenas empresas, além de ser uma entrada segura para o mundo dos negócios.

Tornar-se Microempreendedor Individual (MEI) é um passo importante para quem deseja trabalhar por conta própria. Em 2018, no Brasil, já foram registrados mais de 7,6 milhões de MEIs em mais de 500 profissões, dentre elas confeiteiros, artesãos, pintores, cabelereiros, manicure, diarista, cuidador de animais, entre outras.

Os principais benefícios de ser um MEI

  • Ter o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita abertura de conta bancária, ter acesso a linhas de créditos e empréstimos específicos, venda para outras empresas, emissão de notas fiscais, acesso ao alvará de funcionamento, entre outros;
  • A partir de sua formalização, o MEI passa a ter direito à cobertura previdenciária do INSS. Obtêm acesso a aposentadoria por idade ou mesmo por invalidez, além de ter direito ao auxílio-doença e salário-maternidade para as mulheres. A família também pode contar com pensão por morte e auxílio-reclusão desde o primeiro pagamento formalizado;
  • O MEI também possui a isenção na taxa de registro, a cobrança de tributos federais é mais barata e em valor fixo mensal os controles são simplificados. Também não tem que arcar com IRPJ, IPI, CSLL, COFINS, PIS e INSS patronal.
  • O Microempreendedor também pode ter um funcionário contratado. No entanto, o proprietário só pode efetuar a contratação pagando, ao menos, o salário mínimo ou o piso da categoria.

Para isso, existem apenas algumas exigências para o MEI: provar que a sua renda não passa do total R$ 81 mil por ano (novos valores de 2018) e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular.

Para ser um MEI você só precisa acessar o Portal do Empreendedor, acompanhar as dicas e colocar todos os seus dados. Em poucos minutos o seu cadastro é emitido, contando com dados de CNPJ e sem a necessidade de requerer documentação em nenhuma junta comercial.

Além de todos os benefícios citados, a formalização traz segurança para o empreendedor e o MEI, e é, sem dúvida, a maneira mais simples para abrir uma empresa no Brasil.

Hello world!

Welcome to WordPress. This is your first post. Edit or delete it, then start writing!

© 2018 ECAP consultoria

Theme by Anders NorénUp ↑